sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Tenho pena

Tenho pena que John McCain tenha aderido ao tipo de campanha que a ala mais radical do seu partido promove, de injúria e ofensa pessoal a Obama.
Palin já insinuara que Obama era dado a terroristas, por ter como vizinho, aos oito anos, alguém que colocara bombas em edifícios estatais. Agora também McCain insta insinuações contra Obama.
Os ventos não sopram a favor dos Republicanos, mas nem tudo pode valer, como McCain devia saber.
Bem sei que está em causa o lugar mais poderoso do mundo, mas chegar lá por meios pouco dignos não é decente.
A política também tem lixo e, por vezes, é suja. Não esperava que McCain se deixasse levar. É pena.

1 comentário:

hugo disse...

Sim, realmente é pena. Do pouco que assisti, vi sempre o mesmo quadro a ser pintado. A falta de criatividade da ala republicana, a falta de apoios externos, de argumentos, etc.. só demonstra o tipo de "pulso" que poderia imprimir à sociedade norte-americana. Esperava umas eleições mais acesas, com mais ética e transparência. Já deveria estar habituado à falta dela.. a olhar para a sociedade que elegeu o último presidente... mas pronto, não quero ser crítico, prefiro alertar para a contínua falta de investimento na educação. Assim, não me surpreende a pouca vantagem que Obama tem sobre McCain.