segunda-feira, 2 de junho de 2008

Para não ser idiota

Verifico a existência de um novo comentário, apresentado por Luís Carlos Martins, numa caixa de texto mais abaixo, que alude à Revolução Quilombolivariana.
Acerca deste endeusamento e profunda admiração pelos populismos latino-americanos, merece leitura a obra "El regreso del idiota". Apesar de não concordar com alguns argumentos apresentados pelos autores - Plinio Apuleyo Mendoza (antigo embaixador colombiano em Lisboa), Carlos Alberto Montaner e Álvaro Vargas Llosa -, na globalidade, são apresentados factos que a realidade não desmente.
Quem nutre profunda estima e admiração pelos populismos latino-americanos deve ler a obra, para não ficar idiota.
Fica um breve trecho acerca do livro, escrito por Álvaro Vargas Llosa:

Los observadores extranjeros pierden de vista un aspecto esencial: el populismo latinoamericano no tiene nada que ver con la justicia social. Comenzó como una reacción contra el Estado oligárquico del siglo 19 bajo la forma de movimientos de masas liderados por caudillos que culpaban a las naciones ricas por las penurias de América Latina. Estos movimientos basaban su legitimidad en el voluntarismo, el proteccionismo y una masiva redistribución de la riqueza. El resultado, a lo largo del siglo 20, fue un Estado hinchado, una burocracia asfixiante, la subordinación de las instituciones judiciales a la autoridad política y un sistema económico parasitario.
Los populistas comparten características básicas: el voluntarismo del caudillo como un sustituto del derecho; la impugnación de la oligarquía y su reemplazo con otro tipo de oligarquía; la denuncia del imperialismo (el enemigo siempre son los Estados Unidos); la proyección de la lucha de clases entre ricos y pobres al escenario de las relaciones internacionales; la idolatría del Estado como una fuerza redentora para los pobres; el autoritarismo bajo el disfraz de la seguridad del Estado; y el “clientelismo”, una forma de favoritismo mediante la cual los empleos gubernamentales —y no la creación de riqueza— son el camino a la movilidad social y la forma de mantener un “voto cautivo” en los comicios. El legado de estas políticas es claro: casi la mitad de la población de América Latina es pobre, y más de 1 de cada 5 habitantes vive con $2 o menos por día. Y entre 1 y 2 millones de emigrantes parten en masa a los Estados Unidos y Europa cada año en busca de una vida mejor.

2 comentários:

ahmed agio disse...

REVOLUÇÃO QUILOMBOLIVARIANA !

Manifesto em solidariedade, liberdade e desenvolvimento dos povos afro-ameríndio latinos, no dia 01 de maio dia do trabalhador foi lançado o manifesto da Revolução Quilombolivariana fruto de inúmeras discussões que questionavam a situação dos negros, índios da América Latina, que apesar de estarmos no 3º milênio em pleno avanço tecnológico, o nosso coletivo se encontra a margem e marginalizados de todos de todos os benefícios da sociedade capitalista euro-americano, que em pese que esse grupo de países a pirâmide do topo da sociedade mundial e que ditam o que e certo e o que é errado, determinando as linhas de comportamento dos povos comandando pelo imperialismo norte-americano, que decide quem é do bem e quem do mal, quem é aliado e quem é inimigo, sendo que essas diretrizes da colonização do 3º Mundo, Ásia, África e em nosso caso América Latina, tendo como exemplo o nosso Brasil, que alias é uma força de expressão, pois quem nos domina é a elite associada a elite mundial, é de conhecimento que no Brasil que hoje nos temos mais de 30 bilionários, sendo que a alguns destes dessas fortunas foram formadas como um passe de mágica em menos de trinta anos, e até casos de em menos de 10 anos, sendo que algumas dessas fortunas vieram do tempo da escravidão, e outras pessoas que fugidas do nazismo que vieram para cá sem nada, e hoje são donos deste país, ocupando posições estratégicas na sociedade civil e pública, tomando para si todos os canais de comunicação uma das mais perversas mediáticas do Mundo. A exclusão dos negros e a usurpação das terras indígenas criou-se mais e 100 milhões de brasileiros sendo estes afro-ameríndio descendentes vivendo num patamar de escravidão, vivendo no desemprego e no subemprego com um dos piores salários mínimos do Mundo, e milhões vivendo abaixo da linha de pobreza, sendo as maiores vitimas da violência social, o sucateamento da saúde publica e o péssimo sistema de ensino, onde milhões de alunos tem dificuldades de uma simples soma ou leitura, dando argumentos demagógicos de sustentação a vários políticos que o problema do Brasil e a educação, sendo que na realidade o problema do Brasil são as péssimas condições de vida das dezenas de milhões dos excluídos e alienados pelo sistema capitalista oligárquico que faz da elite do Brasil tão poderosas quantos as do 1º Mundo. É inadmissível o salário dos professores, dos assistentes de saúde, até mesmo da policia e os trabalhadores de uma forma geral, vemos o surrealismo de dezenas de salários pagos pelos sistemas de televisão Globo, SBT e outros aos seus artistas, jornalistas, apresentadores e diretores e etc.
Manifesto da Revolução Quilombolivariana vem ocupar os nossos direito e anseios com os movimentos negros afro-ameríndios e simpatizantes para a grande tomada da conscientização que este país e os países irmãos não podem mais viver no inferno, sustentando o paraíso da elite dominante este manifesto Quilombolivariano é a unificação e redenção dos ideais do grande líder zumbi do Quilombo dos Palmares a 1º Republica feita por negros e índios iguais, sentimento este do grande líder libertador e construí dor Simon Bolívar que em sua luta de liberdade e justiça das Américas se tornou um mártir vivo dentro desses ideais e princípios vamos lutar pelos nossos direitos e resgatar a história do nossos heróis mártires como Che Guevara, o Gigante Oswaldão líder da Guerrilha do Araguaia. São dezenas de histórias que o Imperialismo e Ditadura esconderam.Há mais de 160 anos houve o Massacre de Porongos os lanceiros negros da Farroupilha o que aconteceu com as mulheres da praça de 1º de maio? O que aconteceu com diversos povos indígenas da nossa América Latina, o que aconteceu com tantos homens e mulheres que foram martirizados, por desejarem liberdade e justiça? Existem muitas barreiras uma ocultas e outras declaradamente que nos excluem dos conhecimentos gerais infelizmente o negro brasileiro não conhece a riqueza cultural social de um irmão Colombiano, Uruguaio, Venezuelano, Argentino, Porto-Riquenho ou Cubano. Há uma presença física e espiritual em nossa história os mesmos que nos cerceiam de nossos valores são os mesmos que atacam os estadistas Hugo Chávez e Evo Morales Ayma , não admitem que esses lideres de origem nativa e afro-descendente busquem e tomem a autonomia para seus iguais, são esses mesmos que no discriminam e que nos oprime de nossa liberdade de nossas expressões que não seculares, e sim milenares. Neste 1º de maio de diversas capitais e centenas de cidades e milhares de pessoas em sua maioria jovem afro-ameríndio descendente e simpatizante leram o manifesto Revolução Quilombolivariana e bradaram Viva a,Viva Simon Bolívar Viva Zumbi, Viva Che, Viva Martin Luther King, Viva Oswaldão, Viva Mandela, Viva Chávez, Viva Evo Ayma, Viva a União dos Povos Latinos afro-ameríndios, Viva 1º de maio, Viva os Trabalhadores e Trabalhadoras dos Brasil e de todos os povos irmanados

Anónimo disse...

Sempre a mesma babaquice de , imperialismo americano, europeu bla,bla... um monte de pseudo pensadores, "salvadores da pátria" , empurrando as anomalias mentais com trechos de um monte de caras que morreram, muitos deles estavam pouco se fudendo pra o que esse babacas pensam. Os caras atacam o problema como se fosse culpa do imperialismo , defendem verdadeiras desgraças com o Hugo Chaves em nome de uma igualdade social (socialismo tsc), um estado paizão, fonte de distribuição de riqueza. Todo empresário sabe que a maior fonte de desgraça para o pais é representado pelo estado, uma parcela inútil da população que vive as custa de quem realmente cria e produz, ou seja nós empresários e trabalhadores. Conheço muitos empresários, alguns são radicais, indiferentes neutros etc, mas o que vejo em comum é que nenhum é "socialista", mas é claro, um sistema de produção que se baseia na livre distribuição de pobreza e um estado parasita ainda mais forte, só funcionário público pra defender mesmo! A maior desgraça a que mata mas gente com certeza é a porra da ignorância, é ela que permite idiotas como esse surgirem, o mané lé uma historinha de Simon Bolivar (considerado uma anta pelo próprio Marx) e começa a jogar besteiras como essa. É foda viu!


Ps. Tenho quase 100% de certeza que vc é
1 Funcionário público
2 Funcionário público e sindicalista

Aproveitando vou deixar uma frase minha:

Não existe forma mais rápida e eficienrte de produzir merda do que um jumento idealista!

Fui idiota