segunda-feira, 24 de setembro de 2007

As tergiversações de Teerão

Num dia, um Ministro iraniano avisa os Estados Unidos e Israel de serem alvo de um ataque sem precedentes por parte de Teerão caso haja uma intervenção militar destes Estados no Irão. Noutro momento, e amiúde, o Presidente iraniano indica que o desaparecimento do mapa de Israel está para breve. Agora, o mesmo Presidente diz, nos Estados Unidos, não ter qualquer pretensão de guerra.
Teerão mostra peito feito quando pretende conquistar almas internas, mostra-se cordeiro quando sai da toca.
Talvez no Ocidente, em especial na Europa, as palavras do Ministro dos Negócios Estrangeiros francês merecessem mais atenção. Não porque a guerra seja desejável, que nunca é, mas porque uma ameaça maior pode surgir quando menos se espera.
Este poder político de Teerão não dá quaisquer garantias de segurança, pelos dois pesos e duas medidas que assume.

1 comentário:

euroliberal disse...

Kouchner é um judeu traidor à França. Serve os interesses de uma potência estrangeira, a entidade nazi-sionista-apartheidesca e não os da França... Nazi-sionistas fora do governo !