sexta-feira, 12 de outubro de 2007

Os alhos e bugalhos de Menezes

O líder do PSD, Luís Filipe Menezes, diz que o Governo português está no «mau caminho» ao anunciar que o défice deste ano será de três por cento, quando as projecções do Fundo Monetário Internacional indicam uma descida do crescimento económico português.

Já começou a mistura de alhos e bugalhos do novo Presidente do PPD.
O Primeiro-Ministro referiu-se à descida do défice, o autarca de Gaia compara com o crescimento económico.
Começou o rumo ziguezagueante do PPD.
Pena que quem é líder do partido que na última vez que assumiu funções governativas nacionais, e só tinha um único objectivo, uma única obsessão durante o seu mandato, e sem qualquer resultado digno dos objectivos traçados: o cumprimento do défice, pelo contrário, agravou a situação, não refira qualquer mérito do actual Governo no cumprimento do défice acordado com Bruxelas.
Não se pode esperar muito sentido de responsabilidade deste PPD.

6 comentários:

Pedro Sá disse...

Até 2009 vai ser assim. Uma tentativa desesperada de ultrapassar o PS pela esquerda.

Anónimo disse...

Também o que é que estavam à espera?!? o homem não tem lá muita apetência para essa coisa chata da economia e das finanças...não é a autarquia de Gaia uma das mais endividadas do País?!?

carlos pinto

Filipe Tourais disse...

Mas não são alhos e bugalhos. É um mecanismo simples de causa e efeito. 1. O governo corta no investimento público 2. O investimento privado reduz-se (1-->2) ---> 3. o emprego baixa ---> o consumo baixa ---> o investimento baixa (lojas e fábricas que fecham) ---> o movimento repete-se indefinidamente, verifica-se o efeito multiplicador keynesiano

Anónimo disse...

a diferença entre 1.8 e 2.4 não é assim tão significativa que possa afectar o def. de forma não recuperrável.

Filipe Tourais disse...

Não é assim tão grande? São só mais 33,3%. Mas se estamos a falar de fé, é como cada um quiser e sócrates é uma maravilha.

João disse...

Infelizmente o Filipe Tourais faz exactamente o mesmo que Meneses, confunde alhos com bugalhos. Gostei da maneira de descrever a economia, já que é assim tão fácil de explicar, não sei porque os governos do PSD tiveram tanta dificuldade de baixar o défice.
Talvez porque no meio dos vários livros de economia, de onde o Filipe Tourais canibalizou e simplificou até ao limite (e talvez o tenha ultrapassado!), se diz que a confiança e a paz são as pedras basilares do desenvolvimento económico. E como não estamos num estado de guerra, o que será que terá faltado aos governos do PSD, que o actual governo tem?
Já agora, se tomares atenção a algo que é conhecido como intervalos de confiança para estatísticas pontuais, verás que realmente não existe diferença entre 1,8 e 2,4 como previsões; é como tu dizes, se quiseres falar de economia, convém saberes o que dizes, se não, limita-te a discutir se é fé ou não.
Bem apanhado CMC, continua assim.