domingo, 10 de agosto de 2008

Olhe que não, olhe que não!

Num post bastante pertinente, o Pedro Correia indica que: A esquerda europeia anda eufórica com a perspectiva de vitória de Barack Obama nas presidenciais de Novembro.
Sentindo-me elemento deste campo político, caso para parafrasear as célebres palavras empregues num debate famoso de há umas décadas no nosso país: a esquerda europeia eufórica com Obama, pela minha parte: olhe que não, olhe que não!
Sendo indefectível de Hillary, até Edwards, que agora está a ser massacrado pela comunicação social pelos seus assuntos da vida privada, seria melhor candidato que o Senador do Illinois.

2 comentários:

jorge a. disse...

Caro CMC,

"até Edwards, que agora está a ser massacrado pela comunicação social pelos seus assuntos da vida privada"

Pois, está bem, isto depois de ter afirmado sobre Bill Clinton e o caso Monica Lewinsky isto:

"I think this President has shown a remarkable disrespect for his office, for the moral dimensions of leadership, for his friends, for his wife, for his precious daughter. It is breathtaking to me the level to which that disrespect has risen."

O assunto deixa de ser privado a partir do momento em que o politico em causa faz uso da cruzada moralista no seu discurso politico.

CMC disse...

Caro Jorge,

Caso para dizer: pela boca morre o peixe.