quarta-feira, 5 de março de 2008

O efeito dominó do Kosovo

À semelhança do Kosovo, também, a Ossétia do Sul, região separatista da Geórgia, quer ver reconhecida a independência do território. O pedido endereçado à Rússia, ONU e UE surge na sequência de um voto validado, esta terça-feira, pelo Parlamento da ex-republica soviética.

Como seria de esperar, depois do Kosovo, emergem os pedidos de independência de regiões com pretensões separatistas.
A Ossétia do Sul deu o primeiro passo. Espera-se que em Moscovo, grande apoiante da Ossétia do Sul e da Abcásia (regiões com pretensão separatistas da Geórgia), haja bom-senso e não se apoie esta pretensão.

4 comentários:

Gabriel Silva disse...

Porque não? (A russia não o fará, por questões internas)

Mas não podem as comunidades livremente decidir sobe o seu destino?
Quem são os outros para dizer a tais comunidades o que podem ou não fazer?

CMC disse...

Caro Gabriel,
Por essa lógica, qualquer dia a Europa torna-se um continente de minúsculos Estados. Se tivermos em conta a quantidade de comunidades de imigrantes... sempre podia surgir mais um Estado lusófono, pelo menos no próspero Luxemburgo.

Gabriel Silva disse...

exacto.

Sinceramente, a europa, comparada com outros continentes sempre foi um «continente de minusculos estados». Apenas assim não sucedeu quando alguns «grandes» abocanhavam á força os pequenos.

E também não vejo qual o problema de a europa ser um conjunto «minusculos» estados.
Se isso for o que as pessoas quiserem, como contrariar em nome de quê, para quê e porquê?

eu sou dos que gostam que as pessoas e as comunidades possam decidir os seus destinos. E confesso não entender porque se contraria ou se vê com mais olhos esse exercício de liberdade.

Gabriel disse...

errata: «com maus olhos»