quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

É tempo de contar com um PS activo e forte em Lisboa

Caro Zé,
Segundo texto que me diriges, e o que escrevi, para ti tanto se faz como deu. Nem te pronuncias quanto ao projecto gasto e esgotado que entendes apoiar.
Limitaste a reiterar a tua premissa: que eu sou acrítico. À qual juntas agora dois pontos, que eu te devo razão e estou em campanha.
Quanto à questão de estar ou não em campanha, se refiro um apoio a um candidato, segundo a lógica, devo estar, mesmo que não tenha nenhum letreiro a indicar: campanha.
Tu declaras que apoias um candidato, mas não fazes campanha (faz-me lembrar aquele sketch dos 'Gato Fedorento' imitando Marcelo Rebelo de Sousa na campanha da IVG).
Quanto ao dar-te razão, normalmente só a pede quem não a sente.
Em suma, tu crês, e eu respeito, apesar de não conceber, que um projecto político (que reage do mesmo modo às derrotas como às vitórias que os cidadãos atribuem) com 13 anos e com o mesmo líder se renova.
Se quiseres um exemplo análogo e mais evidente, em matéria de renovação, e à escala de um país, os dirigentes do PS francês também consideram que o seu projecto (anacrónico) se renova, por isso, infelizmente, o partido continua na oposição, porque os cidadãos assim o entendem.
Penso que em Lisboa há muitos militantes do PS que querem uma mudança, com uma concelhia activa e forte. Militantes estes, que no teu entender, provavelmente, também devem ser acríticos.

6 comentários:

José Reis Santos disse...

Carlos, leste o texto todo?
(respondo na loja)

CMC disse...

Este: http://lojadeideias.blogspot.com/2008/01/campanha.html?
Li!

José Reis Santos disse...

http://lojadeideias.blogspot.com/2008/01/resposta-directa.html

Pinto de Sousa disse...

Dia 17 de Março faz-se a contagem dos votos e aí logo se vê o que são "projectos gastos e esgotados". As eleições não são ganhas em argumentação ou críticas ofensivas nos Blogues.

PCV disse...

Caros camaradas.

O que está em causa em Março é a escolha entre dois candidatos: Miguel Coelho e Miguel Teixeira.
Apesar de ser apoiante incondicional do primeiro, considero que o segundo nunca seria opção da minha votação. A politica e Lisboa precisa de ser gerida por pessoas honestas, coisas que o Miguel Teixeira não o é.

Anónimo disse...

eu só acho graça a pessoas que se dizem socialistas, como o carlos de castro e só aparecem nestas alturas, é pá tantas campanhas, tantas oportunidades de participar, de fazer valer a sua opinião, desaparecem e agora ainda têm a distinta lata de falar em projectos acabados, estruturas paralizadas, ó meus onde é que vocês andam, pá têm estado no estrangeiro não